Um Muro no Natal Americano

Trump “Noel” paralisou o governo americano, parcialmente, nesta véspera de Natal, porque não ganhou o muro na fronteira com o México que tanto quer há dois anos. 

Mais de 420 mil funcionários públicos federais vão trabalhar sem receber e nove departamentos fecharam ao primeiro minuto deste sábado 22, entre eles o de Segurança Interna, Justiça, Interior, Transporte, Comércio e de Relações Exteriores. Parques nacionais e a Estátua da Liberdade estão fechados e não serão abertos nem nos feriados de fim de ano, se o impasse entre Casa Branca e Congresso perdurar.  Também não há emissão de passaportes.  

Wall street amargou a perda de mais 415 pontos na sexta-feira e a Nasdaq, 20% , no fim da semana considerada histórica e decisiva para a administração Trump. 

O chefe do Pentágono, general Jim Mattis, apelidado de “Cachorro Louco”, renunciou na quinta-feira, depois  de anunciada o que nem ele sabia: a retirada dos dois mil soldados americanos da Síria, expondo parceiros curdos a ataques da Turquia, que os consideram terroristas, e permitindo a expansão iraniana em território sírio.  

Na carta em que entrega o cargo em fevereiro, o general Mattis induz à conclusão de que Trump não age em função do interesse nacional, mas pessoal. O exemplo logo lembrado pela imprensa foi o da Trump Tower que ele planejava levantar em Moscou, semelhante à de New York, mas que precisava do aval do presidente russo Vladimir Putin, a quem daria, em troca, uma das milionárias suítes. Seria apenas um negócio, não fosse o incorporador um candidato à Presidência dos Estados Unidos que nada contou aos eleitores em toda a longa campanha eleitoral, e era obrigado a fazê-lo por lei. 

“Ele traiu a América”,  deu um jornal. 

Para a abrupta retirada da Síria, que surpreendeu os aliados americanos no Oriente Médio, lembra-se que a decisão foi anunciada após uma conversa telefônica com o presidente turco Recep Erdogan, que ameaça com revelações sobre  a execução do jornalista Jamal Khashoggi, em Istambul, o príncipe herdeiro saudita Bin Salman, tido por mandante e blindado pela Casa Branca.  

O muro na fronteira seria pago pelo México, quando anunciado nos comícios eleitorais. Mas agora, véspera em que a Câmara terá maioria Democrata, a partir de 3 de janeiro, a conta passou para os contribuintes — e mais: ou os 5 bilhões de dólares para iniciar a obra estivessem no orçamento provisório para que o governo funcione até  8 de fevereiro, ou Trump não o assinaria, provocando, como afinal provocou, o fechamento parcial do governo. Os Republicanos bem que tentaram pôr o muro de passa-moleque na legislação de financiamento quebra-galho do governo. Mas aí encontraram um muro intransponível dos Democratas.  

O presidente chegou a dizer que teria orgulho em assumir a responsabilidade por parar o país. Porém, ele não demorou a culpar os Democratas. Num dos milhares de tuítes disparados sobre o imbróglio, alguém perguntou: “Que tal fechar o governo e não abrir nunca mais?” O senador Charles Schumer (D-New York) assegurou a Trump ao falar no Senado: “Você não vai ter seu muro. Não o terá hoje, nem na semana que vem e muito menos em janeiro, quando os Democratas tomarão conta da Câmara”.

Um comentário sobre “Um Muro no Natal Americano

  1. Meu caro Rabino, Agradeço, com a presente mensagem, o privilégio de receber suas análises, crônicas e comentários sobre temas contemporâneos e fatos históricos. Sou-lhe muito grato por isso. Agora, no limiar de um ano novo quero desejar-lhe um Ano Novo próspero e venturoso. E que o amigo continue nos brindando com sua inteligência. Com um abraço e a admiração do Vicente

    Em Sáb, 22 de dez de 2018 19:22, Vicente de Paula Oliveira > Em 22 de dez de 2018 19:09, “Escritos com a pele” <

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s