Bolsonaro a conta-gotas

O presidente Bolsonaro deu uma entrevista ao jornal The Washington Post, em Davos, na Suíça. Quando li o primeiro parágrafo, resolvi transformá-la em tuítes, principalmente porque não vi entrevista dele para a imprensa brasileira, exclusiva ou coletiva. Para ir mais rápido cortei formalidades, deixando Lula e Dilma onde havia “ex-presidente” e nomes completos, por exemplo, e fiz atalhos traduzindo o sentido mais que palavra por palavra de cada frase. Ao estourar o limite de um tuíte, cortava o que já é conhecido no Brasil. Só assim consegui resumir o que provavelmente os jornais nacionais darão melhor amanhã. À medida que fui tuitando, tomei um susto: a entrevista era grande e não só alguns poucos parágrafos. Aí vai:

BOLSONARO-1

-Você admira Trump? – perguntou a Bolsonaro a repórter Lally Weymouth, do The Washington Post.

Sim, admiro porque ele está tentando tornar a América grande de novo. Nós também queremos um grande Brasil (…)

BOLSONARO 2

POST: Você acha que a mudança de regime na Venezuela é uma boa ideia? O que o Brasil pode fazer para que isso aconteça?

-Sempre fomos contra o regime Maduro, especialmente considerando que teve laços estreitos com os governos Lula e Dilma, como com Cuba.

BOLSONARO -3

POST: Como isso pode acontecer? (a mudança na Venezuela)

-É preciso, claro, remover Maduro do poder. Acontece que ele tem 70 mil cubanos do seu lado. Então, não será fácil.

BOLSONARO -4

POST: Você está disposto a usar tropas brasileiras?

-Não vamos embarcar o Brasil numa intervenção militar. Não temos uma história de resolver problemas com intervenção militar.

BOLOSONARO – 5 e 6 (um engano na numeração da sequência)

POST: Ao mesmo tempo, a Venezuela é uma tragédia humanitária…

-Brasil deu boas vindas e acomodou refugiados da Venezuela. Nós os realocamos e os assistimos. Chegamos ao nosso limite (…)

BOLSONARO -7

POST: Você acha que fez a diferença para Maduro?

– Acredito, sim. Nosso serviço de inteligência captou um alto nível de insatisfação entre militares na Venezuela (…) Não há mais coesão como antes.

BOLSONARO – 8

POST – Nos EUA muitos não gostaram de seus comentários sobre mulheres e a comunidade LGBT (a repórter prossegue com o azul e rosa de Damares).

-Tenho sido acusado de atacar mulheres, negros, gays, índios. Se isso fosse verdade, teria ganhado a eleição?

BOLSONARO 9

POST: Como você pôde dizer que ter uma filha foi um momento de fraqueza?

-Isso foi apenas brincadeira. É muito comum responder assim no Brasil.

BOLSONARO – 10

POST (a repórter insiste em que ele deve dizer algo mais sobre a pergunta feita)

Eu já expressei minha visão a respeito.

BOLSONARO 11

POST: Você disse que seria melhor ter um filho que se droga do que um filho gay. Em retrospecto, você acha que deve ser presidente de todos os brasileiros e esquecer essas declarações?

– Esta é uma novidade para mim. Nunca a ouvi antes.

BOLSONARO 12

POST: Isso foi publicado…-

– Você realmente acredita em mídia impressa? Você realmente acredita nela cegamente?

POST: Sim, eu cresci com mídia impressa.

BOLSONARO 13

– Eu não estou duvidando de sua mídia. No Brasil, eles são todos iguais – os jornais,

POST: Você pode assegurar que as mulheres e a comunidade LGTB terão um lugar no seu Brasil?

-Eu amo mulheres

BOLSONARO 14

POST: E você pode reassegurar que a comunidade LGBT tem lugar no seu Brasil?

-Todos têm lugar no nosso Brasil. Quero que sejam muito felizes. Mas eu não permitirei que crianças de 6 anos sejam expostas a conteúdo homossexual nas escolas.

BOLSONARO 15

POST: Qual o seu compromisso com a democracia? (A repórter lembra o tempo da ditadura, que ele elogia).

-Os militares salvaram o Brasil.

BOLSONARO 16

POST: Os militares salvaram o Brasil?

Os militares salvaram o Brasil de uma potencial ditadura em 1964.

POST – E quanto a você, Presidente? Você tem compromisso com a democracia hoje no Brasil?

-Nós vamos fortalecer a democracia a todo custo

BOLSONARO 17

Continuando do post anterior:

-Dilma Rousseff teve vários terroristas no governo dela, e ninguém disse nada. Lula e Dilma adoravam Fidel e elogiavam Kim Jong-un. São eles que falavam sobre democracia no Brasil. Eu represento liberdade e democracia.

BOLSONARO 18

…Nossas forças armadas garantem o que estou declarando a você.

POST: Nos EUA, temos uma grande força armada e uma grande democracia. Podemos ter os dois.

-As forças armadas garantem a democracia.

BOLSONARO 19

POST: O que seu governo fará para combater a corrupção?

-O ministro Moro tem disponíveis todas as ferramentas para seguir a trilha do dinheiro. Corruptos não terão mais vida fácil no Brasil.

BOLSONARO 20

POST: Tenho que lhe perguntar sobre seu filho, Flávio. Foi informado que ele contratou várias pessoas ligadas a gangues…

-Isso não é uma questão para o governo federal, nem de sua conta. Mas vou dar meu ponto de vista…

BOLSONARO 21

(O presidente continua)

-Em grande parte, o sobrenome, Bolsonaro, é a razão por tanta visibilidade. O que disseram contra ele são acusações politicas de gente que quer criticar meu governo (…) Se alguma prova aparecer contra meu filho, ele será punido.

A entrevista ao Washington Post prossegue com reforma da previdência, a facada na campanha eleitoral, a cirurgião na segunda-feira,